Wednesday, May 03, 2006

A corrupção

A corrupção é, e sempre foi, um dos sinais mais óbvios de que algo está muito mal na estrutura socio-económica do país. No caso português a coisa é mais engraçada porque combinamos a corrupção com um dos nossos traços mais desprezíveis: o fingir que nada se passa. Durante 40 e tal anos de ditadura todos assobiaram para o ar e foram à sua vida como se nada de estranho se passasse e com a corrupção fazemos o mesmo. Fingimos que não sabemos, não vemos, nunca aconteceu ou a minha favorita “isso foi você que interpretou mal”.

A corrupção é um crime muito complicado de combater pela simples razão que não é fácil provar e alguém que apresente queixa arrisca-se ou a fazer de parvo em tribunal ou mesmo a ser processado por difamação ou outra coisa qualquer. Os pequenos corruptos jogam com isto, sabem que provar é quase impossível e que têm plena liberdade para extorquir o que entenderem. Ainda me lembro de quando há cerca de 10 anos a minha família quis fazer umas obras no prédio onde morávamos (obras que não eram com fins estéticos) e teve que se pedir uma autorização a não sei quem na câmara municipal. A Sra. que nos recebeu arranjou mil uma formas de indicar (não tão subtilmente) que se o projecto era para ir para a frente ela teria que receber algo ou então bloqueava a coisa de toda as formas possíveis e imaginárias.

O meu caso não é peça única e acho que todos nós já encontrámos pelo menos uma vez casos semelhantes. O problema é que não são só meia dúzia de funcionários burocráticos locais que praticam isto. Antes fosse assim. Quem sabe como funcionam as compras de material para hospitais, exército, ministérios, obras públicas, etc? Ah pois é, todos estamos cansados de saber que as coisas não são exactamente transparentes (outro exemplo, um médico conhecido meu pediu um aparelho x para o seu departamento e meses mais tarde recebeu o aparelho y que era 3 vezes mais caro e fazia praticamente o mesmo – a sua decisão profissional foi anulada pela de um burocrata que nada percebe de medicina mas que “inocentemente” achou que aquele era o melhor equipamento).

Para terminar este “rant” num tema tão desagradável gostava apenas de falar do caso das reformas dos políticos. Não as reforma que recebem como pensão mas sim os cargos em empresas privadas que ocupam quando saem do estado (assembleia ou outro qualquer). Todos sabem que ser político é a forma mais rápida de fazer carreira como consultor no sector privado, curiosamente (e por motivos misteriosos) as empresas gostam de ter manadas de ex-políticos em reserva nos seus quadros. Eu pergunto-me se será pela excelente qualidade dos profissionais ou se pelas cunhas que meteram e os favores que prestaram quando ocuparam cargos e pelos que podem continuar a prestar conhecendo o meio como conhecem.

Isto tudo leva-nos a uma inevitável e triste conclusão: a corrupção existe porque existem vários grupos (que estão longe de estarem desprovidos de poder e influência) que beneficiam escandalosamente dela e porque mais uma vez o cidadão prefere comer e calar a ter que levantar a voz e reclamar (embora aqui a coisa seja mais complexa porque na mais bela tradição portuguesa as vozes dissidentes costumam ser abandonadas e isoladas até que conclua que todos os males do mundo são da sua responsabilidade – solidariedade no seu melhor). Mais um factor de desgaste da democracia e do parlamentarismo.

3 Comments:

Blogger pedro silva said...

CORRUPÇÃO?

Em portugal?

Isso não existe...
São apenas as vozes sinistras dos mercenários vindos do inferno a denegrirem a imagem do nosso lindo e puro portugal...

Que horror ...já não venho mais a este blog...

Wednesday, May 03, 2006 8:22:00 PM  
Blogger Berith said...

É só má lingua, todos sabemos que o nosso país é de brandos e rectos costumes...

Wednesday, May 03, 2006 11:51:00 PM  
Anonymous Anonymous said...

What a great site Forest laboratories lexapro Mazda b2000 cam pulley pet vitamins 2c antioxidants

Saturday, March 03, 2007 11:07:00 AM  

Post a Comment

<< Home