Tuesday, April 25, 2006

Rotativismo e escolhas

«A História do regime da Constituição de 1976 é um rotativismo monótono, pouco eficiente face aos desafios e desígnios nacionais que se nos apresentaram e se nos apresentam».

Foram estas as sábias palavras de Alberto João Jardim. O nosso democrata das ilhas deu-se repentinamente conta que o PS e o PSD retalharam o poder e os tachos e que nenhum deles faz nada de realmente radical (não é apenas para não abanar o barco... é também reflexo da sua própria mediocridade). O único ponto que não menciona (não se percebe bem porquê...) é que não o fazem apenas por inépcia ou falta de personalidade mas também por corrupção.

Nunca pensei que isto viesse um dia a acontecer mas concordo com este demagogo. O rotativismo é realmente uma doença que gera podridão política, que mais tarde ou mais cedo tem que ser saneada. Quanto mais tarde se acudir ao problema mais drásticas terão que ser as medidas e mais violenta será a reacção.

O que acho muito divertido é ser o semi-ditador da Madeira a vir dar esta lição (dá um novo sentido à palavra ironia), um homem que subiu dentro do PSD, que deve o seu lugar ao partido, que transformou a região a que preside num feudo pessoal, onde até o vilipendiado rotativismo seria uma lufada de ar fresco à habitual podridão do sistema político e burocrático das ilhas.

Um bom passo para recuperar a esperança, de que Jardim tanto fala, seria acabar com o seu próprio reinado nas ilhas e mudar o partido que controla o aparelho. Depois disso já se poderia começar a pensar no resto do país e nos vícios de um sistema bipartidário.

1 Comments:

Anonymous Anonymous said...

This is very interesting site... » »

Sunday, March 04, 2007 4:52:00 PM  

Post a Comment

<< Home